Escolhas E “Desescolhas”

Caminhos : Escolhas e “Desescolhas”

Há poucos dias eu estava conversando com a Diretora de uma grande empresa sobre um trabalho de desenvolvimento de liderança que iremos conduzir, e quando referiu-se à postura e comportamentos dos líderes dessa organização, contou-me a seguinte história:

“Eu tenho muito medo de viajar de avião, mas por causa do meu trabalho e da minha família, obviamente eu viajo mesmo com medo.

E quando tem alguma turbulência, as primeiras pessoas para quem eu olho são os comissários. Se eles estiverem sorrindo ou com expressão tranquila, eu relaxo, caso contrário, começa a bater o desespero.

É isso que eu falo para os nossos líderes: Nós somos os pilotos e comissários desse avião! Eu sei que estamos passando por momentos turbulentos no país e no mercado, mas precisamos demonstrar que acreditamos que as coisas vão melhorar, e agir com otimismo realista, entusiasmo e paixão. Se demonstrarmos o contrário, traremos desânimo, pessimismo e desespero para as pessoas”.

Antes de qualquer outra coisa, liderança é uma escolha e, consequentemente uma “desescolha”, já que quando escolhemos algo, naturalmente “desescolhemos” alguma coisa.

Você pode, por exemplo, escolher ser apenas chefe, ter uma posição, um crachá, um título e uma sala e, por consequência, “desescolher” liderar. Aí então, você manda e as pessoas obedecem. E no final, mesmo com uma equipe “meia-boca”, os resultados aparecem, reforçando o seu modelo mental de que não é preciso perder tempo com as pessoas, afinal, elas são pagas pra trabalhar e entregar os resultados solicitados. Escolhas e “desescolhas”.

Por outro lado, você também pode escolher liderar, independentemente de sua posição. Se você é chefe, além de cuidar das coisas que estão debaixo de sua gestão e responsabilidade, ao escolher liderar, cuidará também das pessoas, do bem-estar e do desenvolvimento delas. Se você ainda não é chefe, nada o impede de escolher liderar e influenciar positivamente as pessoas através de comportamentos e atitudes, tornando-se referência para elas.

O fato é que quando você escolhe liderar, tendo ou não um título ou posição, “desescolhe” queixar-se das situações e escolhe empenhar-se para transformá-las; “desescolhe” os erros e incertezas do passado e escolhe trabalhar duro no presente para construir um futuro melhor para todos; “desescolhe” a posição de vítima e escolhe a de protagonista; “desescolhe” o desânimo e o desespero, e escolhe otimismo realista, dedicação, entusiasmo e paixão.

Escolhas que influenciarão diretamente e positivamente o ambiente e os resultados, seja no trabalho, em casa ou em qualquer outro lugar, porque a única coisa que você não escolhe quando escolhe liderar, é que as pessoas o escolhem como referência e, ao olharem pra você, saberão o que fazer. E ainda que a situação esteja muito difícil, a sua escolha em liderar e influenciar positivamente aqueles que estão à sua volta é que possibilitará uma mudança de ânimo e a busca de resultados melhores.

Estudos recentes da neurociência comprovam que assim como nossos estados emocionais influenciam a nossa postura e comportamentos, também os nossos comportamentos influenciam diretamente os estados emocionais, que consequentemente impactam em nosso entusiasmo, otimismo e paixão.

Então, escolha ter o comportamento certo; isso ajudará a mudar o seu estado emocional; busque fazer as escolhas e “desescolhas” certas para que o presente e futuro sejam melhores que o passado; escolha liderar.

 

 

Fonte: Postado por Aleixo & Associados autor: (*) Marco Fabossi é Conferencista, Escritor, Consultor, Coach Executivo e Coach de Equipe, com foco em Liderança. Sócio-diretor da Crescimentum – Alta Performance em Liderança, que tem como missão:  Construir um mundo melhor, transformando pessoas em líderes extraordinários“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *